Fumeiro de Barroso  
Clique numa imagem para aumentar || Galeria de Imagens ||
     
 

Salpicão

  • O presunto é separado do resto do corpo do animal ao qual lhe é retirado o pé. O tempo estimado de salga é de 1dia por kg. Quando o tempo está seco a salgadeira é borrifada com água ou deita-se uma mistura de vinho, sal e alho. Ao terceiro dia de salga, a carne é mexida de forma a garantir que a salga seja uniforme.
  • Após três semanas, a carne é retirada, removendo-se o excesso de sal, por meio de lavagem, com vinho ou com água. Por vezes, como prevenção contra a “mosca”, a carne é untada com uma mistura de azeite e colorau, antes ou depois de estar no fumeiro.
  • A fumagem varia entre duas semanas e três meses. É feita com a utilização de madeiras da Região, preferencialmente o carvalho e a urze.
  • A cura processa-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumido.

Pá de Porco

  • A pá é separada do resto do corpo do animal. A duração da salga varia em termos de peso, sendo de 1 dia por kg. Quando o tempo está seco e de forma a facilitar a salga, a salgadeira é borrifada com água. A carne deve ser mexida de forma a garantir que a salga seja uniforme.
  • Após o período de salga, o sal é removido, por vezes por meio de lavagem, com vinho ou com água. Por vezes, como prevenção contra a “mosca”, a carne é untada com uma mistura de azeite e colorau, antes ou depois de estar no fumeiro.
  • A fumagem, essa sim, é característica do método de produção do produto, variando a sua duração entre duas semanas e três meses. A fumagem é feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Se não for consumida de imediato, continua a curar num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumido.

Cabeça de Porco

  • A cabeça é separada do resto do corpo do animal. O produto permanece depois na salga durante dois, três dias (1 dia por kg). Por vezes, no dia da salga, quando o tempo está seco, a salgadeira é borrifado com água, de forma a facilitar a salga. A cabeça deve ser virada de forma a garantir que a salga seja uniforme.
  • Após dois, três dias, a cabeça é retirada da salga, sendo removido o excesso de sal.
  • A fumagem dura entre duas e três semanas. É feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Se não for consumida de imediato, deve conservar-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumida.

Pé do Porco

  • O pé obtém-se a partir da separação do presunto ou da separação do pernil e pá do animal. O produto permanece depois na salga durante alguns dias, onde periodicamente é virado de forma a garantir que a salga seja uniforme. Após esse tempo, é retirado da salga, sendo removido o excesso de sal.
  • A fumagem varia entre duas semanas a três semanas. É feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Se não for consumido de imediato, deve conservar-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumido.

Pernil

  • O pernil obtém-se separando-o da pá e do chispe. O produto permanece depois na salga durante alguns dias.
  • Após esse tempo, a carne é retirada da salga, sendo removido o excesso de sal.
  • A fumagem, tem a duração de duas semanas a três semanas. A fumagem é feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Se não for consumido de imediato, deve conservar-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumido.

Peito de Porco

  • O peito é separado do resto do corpo do animal. O produto permanece depois na salga durante cinco a seis dias. Após esse tempo deve remover-se o excesso de sal.
  • A fumagem, varia de duração entre duas semanas a três semanas. É feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Depois, se não for consumido de imediato, conserva-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumido.

Queixada do Porco

  • A queixada é separada da cabeça do animal. Permanece depois na salga durante alguns dias. Após este período, é retirada da salga, sendo removido o excesso de sal.
  • A fumagem, varia entre duas semanas a três semanas. A fumagem é feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Deve conservar-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumida.

Barriga de Porco

  • A barriga é separada do resto do corpo do animal. A duração da salga varia em termos de peso, sendo de 1 dia por kg. Quando o tempo está seco e de forma a facilitar a salga, a salgadeira é borrifada com água. A carne deve ser mexida de forma a garantir que a salga seja uniforme.
  • Após o período de salga, o sal é removido, por vezes por meio de lavagem, com vinho ou com água. Por vezes, como prevenção contra a “mosca”, a carne é untada com uma mistura de azeite e colorau, antes ou depois de estar no fumeiro.
  • A fumagem, essa sim, é característica do método de produção do produto, variando a sua duração entre duas semanas e três meses. A fumagem é feita com a utilização de madeiras da região, preferencialmente o carvalho e a urze. Se não for consumida de imediato, continua a curar num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumida.

Salpicão

  • Trata-se de um enchido fumado a partir de matérias-primas tradicionais da região. O fabrico é do tipo tradicional, tendo especial atenção com a origem das matérias-primas.
  • Todas as matérias-primas de base deste produto (Carne do lombo e tripa) têm origem em porcos resultantes da própria exploração, com idades ao abate compreendidas entre os 9 e 18 meses e alimentados com alimentos aí produzidos (centeio, milho, batatas, abóboras, beterrabas, etc.), com interdição total de qualquer concentrado ou alimento obtido industrialmente. Outros ingredientes integram este produto regional, sendo eles o sal, o vinho, o alho e o pimento picante e doce.
  • Aspecto, trata-se de um enchido com forma cilíndrica e arredondada nos topos. A cor é uniforme, sendo esta um vermelho escuro próximo do castanho. Internamente o aspecto é homogéneo, vermelho-acastanhado.
  • Sabor, este é agradável e possui características próprias e muito peculiares.

Chouriça

  • Trata-se de um enchido fumado em que o fabrico é do tipo tradicional, tendo especial atenção com a origem das matériasprimas.
  • Todas as matérias-primas de base deste produto (Carne entremeada da pá, aparas da desmancha e músculos do pescoço) têm origem em porcos resultantes da própria exploração, com idades ao abate compreendidas entre os 9 e 18 meses e alimentados com alimentos aí produzidos (centeio, milho, batatas, abóboras, beterrabas, etc.), com interdição total de qualquer concentrado ou alimento obtido industrialmente. Outros ingredientes integram este produto regional, sendo eles o sal, o vinho e o alho.
  • Aspecto, trata-se de um enchido em forma de ferradura, apresentando uma cor não homogénea,
  • Sabor, este é agradável e possui características próprias e muito peculiares.

Chouriço de Abóbora

  • Trata-se de um enchido tradicional constituído por carne de porco (magra e gorda).
  • Aspecto, trata-se de um enchido em forma de ferradura apresentando uma cor não homogénea, variando no mesmo enchido do alaranjado ao castanho-escuro, com manchas.
  • Sabor, este é agradável e possui características próprias e muito peculiares.

Sangueira

  • Trata-se de um enchido tradicional constituído por carne de porco e sangue (50% magra, 40% gorda e 5% de sangue).
  • Aspecto, trata-se de um enchido em forma de U apresentando uma cor castanho-escuro próxima do preto.
  • Sabor, este é agradável e possui características próprias e muito peculiares.

Alheira

  • Trata-se de um enchido tradicional curado. Todas as matérias primas de base deste produto têm origem em porcos resultantes da própria exploração, com idades ao abate compreendidas entre os 9 e 18 meses e alimentados com alimentos aí produzidos (centeio, milho, batatas, abóboras, beterrabas, etc.) e em galinhas ou outras aves de capoeira igualmente criadas na própria exploração com interdição total de qualquer concentrado ou alimento obtido industrialmente. Outros ingredientes integram este produto regional, sendo eles o sal, a agua, o alho, o pimentão, a salsa e o pão.
  • Aspecto, trata-se de um enchido em forma de U apresentando uma cor amarelo-torrado próxima do alaranjado, sendo bem visíveis as fibras de carne e a salsa.
  • Sabor, este é agradável e possui características próprias e muito peculiares.

Farinheira

  • A farinheira de barroso obtém-se usando os seguintes ingredientes: carne entremeada, farinha de centeio, calda de cozedura dos ossos de assuã e diversos condimentos como sal, alho, pimenta, abóbora.
  • Começa-se por cozer os ossos aproveitando-se a calda. Coze-se a carne e deita-se num alguidar. Tempera-se com sal, alho, pimenta e rega-se tudo com a calda de cozedura. Em seguida, usando tripa fina, enchem-se as farinheiras, deixando um bocado de tripa vazia para a dilatação, depois de atadas, lavam-se as farinheiras em água morna e põem-se no fumeiro durante alguns dias. Deve conservar-se num local fresco, sem luz, arejado e seco até ser consumida.
 
  Boticas, 2009-04-24 17:11:55,  
  || Voltar ||  
 
  Produtos Regionais  
  Vinho dos Mortos  
  Mel de Barroso  
  Fumeiro de Barroso  
  Carne Barrosã  
  Folar  
  Pão Centeio  
  Eventos  
  Participações  
  Multimédia  
  Vídeos  
  Serviços  
  Casamentos  
  Baptizados  
  Aniversários  
  Catering  
  Take Away  
  Convívios  
     
   
 
Optimizado para: | N 9 | FF 3 | IE 8 | OP 9 | Safari 4 | Chrome 1 | Resolução: 1024 X 768 px | Copyright © Restaurante Marialva 2011 | Powered by [ joemedia ]